Traficante capota carro roubado com 700 kg de maconha ao tentar fugir do D.O.F., na fronteira.


 TRAFICANTE CAPOTA CARRO ROUBADO CARREGADO COM 700 KG DE MACONHA, AO TENTAR FUGIR DO DOF NA FRONTEIRA


Ao ver que seria abordado e preso o suspeito empreendeu fuga e acabou perdendo o controle da direção e capotou próximo a fronteira com o Paraguai. um casal que estava batendo a estrada em outro carro também foi preso.



Foto: D.O.F.


Conforme informações da Assessoria de Comunicação do D.O.F., a o fato se deu neste domingo dia 2 de Junho, na região de Indápolis, próximo a cidade de Dourados, em Mato Grosso do Sul.

 Policiais do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) recuperaram na tarde de domingo, um veículo VW Voyage de cor branca e placas de Londrina (PR), roubado e carregado com 700 quilos de uma substância entorpecente, aparentemente maconha.

Foto: D.O.F.
A apreensão ocorreu durante uma abordagem do policiamento para fiscalização na região do Distrito de Indápolis, em Dourados (MS). O condutor, ao perceber a aproximação da viatura do DOF empreendeu fuga, em alta velocidade. Durante o acompanhamento tático, o homem entrou em uma plantação e milho, perdeu o controle do veículo e capotou, o que resultou em danos materiais.



 Questionado sobre a fuga, o condutor, identificado como L. J. S. 26 anos, disse que foi contratado para levar a droga de Dourados (MS) até a cidade de Nova Andradina (MS). Disse, ainda, que pessoas em um veículo VW Fox de cor cinza, com placas de Juiz de Fora (MG) faziam o serviço de batedores de estrada, e que se comunicavam através de ligações de aparelhos de celular. 


Foto: D.O.F.
Uma segunda equipe do DOF foi acionada e abordou o veículo Fox na região do Distrito de Lagoa Bonita, sendo que o veículo era dirigido por C. F. E. D. 27 anos e tinha como passageiras;  I. C. F. (39) – passageira do Fox que dispensou o aparelho de celular na rodovia  na vegetação, às margens da rodovia, que foi localizado pelos policiais, e ainda a outra passageira S. S. S. (21).

Foto: D.O.F.

A ocorrência foi registrada e entregue na Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron), para os procedimentos da Polícia Judiciária.






 Fonte: Assecom/DOF/Sejusp

Comentários