Grupo criminoso invade residência executando dois homens deixando outros dois feridos, no interior de MT



GRUPO CRIMINOSO INVADE RESIDÊNCIA EXECUTANDO DOIS HOMENS E DEIXA OUTROS DOIS FERIDOS NO INTERIOR DE MT


 Vários criminosos teriam invadido uma residência onde é três vítimas foram localizadas duas mortas a facadas e tiros e outra quase degolada,  um outro homem conseguiu escapar, mesmo alvejado.



Gif Ilustrativa/ F.A.




A noite desta sexta-feira dia 3 de Janeiro foi marcada por um crime brutal, na cidade de Colniza,em Mato Grosso, onde 2 homens morreram e outros dois ficaram feridos um quase sendo degolado, e outro teria conseguido escapar ferido, após um grupo de criminosos chegar ao local de moto, invadir a residência e efetuar muitos disparos.



 A PM e Colniza, cidade distante a 1042 KM de Cuiabá, foi acionada por volta das 19:50 hs, para se deslocar uma residência, na rua das Mangueiras, no centro da cidade, onde teria ocorrido vários disparos de arma de fogo dentro dessa casa e haveria um homem morto.


 Rapidamente as equipes se deslocaram ao local, onde ao entrarem na residência os policiais se depararam com homem de 23 anos, que estava já em óbito, sentado no sofá degolado e com várias perfurações de arma de fogo, em sua cintura os policiais encontraram uma pistola calibre 9mm.
 Foto: Juína News (reprodução)


 No piso da cozinha os policiais encontraram outro homem, identificado como Ronei Vitorino da Silva, de 25 anos, identificado apenas como Matheus, que estava caído com uma faca sem cabo, cravada em suas costas.
 Foto: Juína News (reprodução)

 Este homem também apresentava várias perfurações de faca e também provenientes de armas de fogo.


Ilustração
 Um outro homem identificado como Adenilson Figueiredo Magalhães, de 23 anos, foi encontrado trancado no banheiro da residência,  o mesmo  quase  foi degolado, estando com grave corte no pescoço e perdendo muito sangue. O mesmo e estava em estado de choque 

 De imediato os policiais acionaram o SAMU que se fez presente no local, socorrendo a vítima que encontrava-se gravemente ferida.


O fato foi comunicado a equipe da Delegacia de Polícia Civil para tomarem outras providências pertinente ao fato.


 Além da pistola encontrada com a vítima que estava morta no sofá os policiais encontraram outras duas armas  de fogo; sendo um revólver calibre 38,  com cinco munições intactas e uma deflagrada e uma arma artesanal, tipo espingarda transformada em " Garruchão", cujo calibre não foi identificado.
 Foto: Juína News (reprodução)


 No local os policiais encontraram vários cartuchos e cápsulas de munições calibres 12, 9 mm e 38, que estavam espalhados pela residência, muitos deflagrados e outros intactos.


 Também foi apreendido uma porção de pasta base no local, que foi isolado para que fossem tomadas todas as providências, e condições de ser realizada a perícia criminal..


 As primeiras informações colhidas com os vizinhos, são que vários indivíduos em motocicletas teriam invadido a residência e efetuaram vários disparos de arma de fogo e posteriormente fugiram do local.

 Ainda segundo os relatos da vizinhança, uma das vítimas conseguiu fugir pelos fundos da residência, sendo que o mesmo estaria alvejado,  mas conseguiu sair vivo do local, porém o mesmo não foi localizado pelas equipes policiais e nem identificado seu nome..


 O caso segue sendo investigado pela equipe da Delegacia de Polícia Civil da cidade de Colniza


 Uma outra morte também foi registrada pela polícia, um pouco antes, na rua das Bromélias , mesma região onde ocorreu a morte destes dois jovens.

Nesta outra casa um homem identificado como Julio Amorim dos Santos, 23, também foi morto a tiros.




 Foto: Juína News (reprodução)

 A polícia investiga os casos, sendo que a casa onde estavam os jovens mortos poderia ser uma boca de fumo, e as mortes também podem estar ligadas a disputa de território. As equipes buscam por informações e não descartam a hipótese de que os jovens estariam ligadas a algum grupo criminoso, que tenha envolvimento com o tráfico de drogas.


As diligências seguem sendo realizadas pela Polícia Civil, que apura os casos.


Comentários