GEFRON E ROTAM recuperam Dodge Ram roubada em Cáceres.




 Os suspeitos seguiram pela BR-174 sendo perseguidos pela ROTAM, ainda furara um bloqueio do GEFRON, mas acabaram presos em Porto Esperidião, com a caminhonete nova que esta avaliada em 350 mil.

Foto: GEFRON



                                                                                                                                                                                                                                             
 Publicidade:







O CAMPO NÃO PARA, NÓS TAMBÉM NÃO PODEMOS PARAR. 

AGRO PORTO SEMPRE AO LADO DO HOMEM DO CAMPO


                                                                                                                                                                                                                                             


 Equipes da Rotam e do Gefron conseguiram interceptar uma caminhonete roubada em Cáceres e prender dois suspeitos que estavam seguindo para Bolívia.


 A recuperação ocorreu por volta das 20 horas deste domingo dia 10,  durante uma operação Horus/Vigia, que está sendo realizada por Forças de Segurança na fronteira.

 Após denúncia do roubo ocorrido na cidade de Cáceres, onde foi subtraída uma caminhonete Dodge Ram, de cor branca,  nova e ainda sem placas,  uma guarnição do Gefron montou um bloqueio na BR 174, próximo a Porto Esperidião, enquanto uma equipe da ROTAM se deslocou pela BR sentido a cidade de Cáceres, de encontro ao referido veículo, que possivelmente estava a caminho da fronteira..

  Durante o deslocamento a equipe da ROTAM se deparou com uma caminhonete com as mesmas características, que seguia em alta velocidade de sentido a Porto Esperidião.

 Foi dado ordem de parada porém o suspeito ignorou e continuou em fuga, iniciando-se assim o acompanhamento tático da equipe.


Ao chegar na próxima Porto Esperidião, novamente o suspeito recebeu ordem de parada por uma outra equipe do  Gefron,  que também foi ignorada e a caminhonete continuou seguindo em fuga.


 Um pouco mais à frente o suspeito adentrou na cidade de Porto Esperidião, onde acabou chocando se encontra a guia da avenida e em um caminhão.

 Dois suspeitos abandonaram o veículo e empreenderam fuga a pé, correndo pelo pátio do posto de combustíveis na entrada da cidade,  onde foram detidos receberam voz de prisão.

Foto: PMMT

Um dos suspeitos relatou aos policiais que havia pego o veículo na cidade de Cáceres e que levaria até Porto Esperidião, recebendo o valor de R$ 3.000,00 pelo trabalho sujo.


 Os suspeitos receberam voz de prisão e foram conduzidos para Delegacia de Fronteira em Cáceres, onde outras providências foram tomadas..


 "O cabriteiro e o atacante de um time de futebol"

 Um ganha por atravessar veículos e o outro ganha por fazer gol




Ilustração- WEB( Reprodução)



Agora vem uma questão; sempre que são pegos na fronteira com carros roubados ou furtados, esses criminosos dizem que apenas pegaram um veículo para trazer para região de Fronteira,  Porém se não pertencem a quadrilha como é que  os assaltantes que entram nas casas logo entra em contato com eles dando os veículos para que Tragam para Fronteira, mesmo com as vítimas em cativeiro ou não.





 No meu entender assim como também de muitas pessoas da sociedade e policiais que atuam na região, isto quer dizer que pertence à mesma quadrilha e não apenas no crime de receptação.

Ponto de vista

 
Uma quadrilha funciona como um verdadeiro time de futebol,  onde quem entra na residência, quem planeja e quem fica com as vítimas só recebe o dinheiro se atravessador conseguir levar o veículo para Fronteira e for bem-sucedido na travessia.

 No time  de futebol, o técnico, os laterais, zagueiros, meio de campo e goleiro só são vitoriosos se o atacante fizer o gol.



 Neste caso o atacante também faz parte do time vencedor ou perdedor caso não tenha sucesso em fazer o gol.


 Comparando-se a isto podemos dizer também tem um atravessador pertence a mesma quadrilha, sendo neste caso que faz o papel do atacante que se não for bem sucedido na travessia do veículo para o país vizinho toda a quadrilha deixa de ganhar.


 Essa é uma simples demonstração de como funcionam as quadrilhas que agem, mas infelizmente esses criminosos ao serem presos com os veículos roubados ou seja fazendo o Gol, são enquadrado apenas como receptadores, infelizmente por leis desatualizada e entendimentos que deveriam ser revistos.

Muitas pessoas com quem já conversei também tiveram este mesmo entendimento,  mas nossas autoridades estão presas burocraticamente as nossas leis e artigos, que deixam as famosas brechas que são aproveitadas pelos defensores, que logo colocam seus clientes em liberdade, para que novamente atuem no ramo criminoso.

Comentários