Policiais Civis são assassinados no Centro de Campo Grande-MS, durante investigação de crimes de roubos







 POLICIAIS CIVIS SÃO ASSASSINADOS NO CENTRO DE CAMPO GRANDE-MS, DURANTE INVESTIGAÇÃO DE CRIMES DE ROUBOS


 Os policiais foram  alvejados com tiros na nuca e na cabeça, dentro da viatura por um criminoso que estava sendo conduzido com outro suspeito.
Foto Reprodução: WEB

 O final da tarde desta terça-feira dia 9 infelizmente um fato lamentável e duas perdas irreparável ocorreram na capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande,  quando dois policiais perderam as vidas durante o comprimento das suas funções em defender a sociedade e tirar do seu seio os escrotos incompatíveis com a vida e o bem estar de todos.


 O fato ocorreu no cruzamento das Avenidas Fernando Correia da Costa com a Joaquim Murtinho, no Centro de Campo Grande,  a capital morena.


 Conforme informações repassadas pelo delegado geral da Polícia Civl de MS, Dr Marcelo Vargas; os investigadores Antônio Marcos Roque da Silva de 39 anos e Jorge Silva dos Santos de 50, foram mortos quando realizavam investigação tem uma quadrilha que atuava no roubo na área nobre da capital.

Foto Reprodução: WEB
 Como ocorreu os fatos dentro da viatura ainda não foi divulgado porém, pois ainda está em fase de apuração,mas a fatalidade é que os dois policiais foram mortos com tiros precisos na região da nuca, e na cabeça, sendo alvejados dentro da viatura descaracterizada que os investigadores da DERF utilizavam  para realizar a operação de combate ao Crime.

 Um dos investigadores morreu dentro da viatura, enquanto o outro caiu ao lado de fora, não tendo qualquer chance de socorro e foram a óbito no local, um com tiro na nuca e outro com tiro na cabeça.


 Os investigados que estavam dentro da viatura eram Ozéias Silveiras Morais de 44 anos e William Duarte Cormelato, de idade não informada.


Foto Reprodução: WEB


 Oséias foi apontado como autor dos disparos e fugiu do local tomando rumo ignorado sendo o que William acabou preso elevado para o GARRAS, (da Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Bancos Assaltos e Sequestros).


 O delegado Geral da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Marcelo Vargas, falou que os policiais estariam investigando os crimes de Roubos e Furtos, ocorridos na área Central, durante o transporte dos suspeitos acabaram baleados  e infelizmente o foram óbito no local.


 Muitos boatos surgiram logo após o crime, inclusive de que haveria uma tentativa de resgate dos presos, onde houve confronto e o assassinato dos policiais, porém esta versão foi descartada pelo delegado, que relatou ainda à imprensa de que os fatos estão sendo investigados, mas que o crime ocorreu dentro da própria viatura da polícia civil.



O delegado ainda disse a respeito do lamentável fato, de que um dos conduzidos não estava algemado e estaria armado, sendo este identificado posteriormente como Oséias, responsável pelos disparos, afirmando ainda que as armas dos policiais estavam com eles e intactas.
DR  Marcelo Vargas- Dir. Geral da Polícia Civil de MS
"Na verdade eles estavam fazendo uma investigação de furto de roubo de celulares e estavam conduzindo esses presos para delegacia para poder fazer a checagem e melhor esclarecimento e talvez por isso não fizeram uma busca pessoal nesses conduzidos . E aí se deu a fatalidade, mas isso tudo são conjecturas.", disse o Delegado

Ozéias Silveiras Morais Foto: reprodução 

 Após o crime as polícias da capital iniciaram as diligências, onde  várias ações foram montadas até encontrarem Ozéias, já na madrugada desta quarta-feira, 10, no bairro Santa Emília, onde ocorreu um confronto com a polícia e acabou sendo morto.

 O delegado-geral da Polícia Civil Marcelo Vargas, relatou a imprensa também que a morte dos policiais civis foi um ato covarde e que os investigadores da DERF foram assassinatos friamente por um suspeito que era transportado na viatura sem algemas, para não infringir a lei de abuso de autoridade.

Os investigadores não tiveram a mínima chance de reagir,  fato que deixou todos os policiais bastante consternados, mas infelizmente é algo inerente à profissão.

 Nossos sentimentos a todos os familiares, companheiros de serviço e amigos destes dois policiais, que foram vítimas de um ato covarde. 

Comentários